Publicidade

OPINIÃO DE HÉRCULES DIAS

Eleições de 2020 passarão por Wanderlei Barbosa, Cinthia e Amastha. Quem triunfará?

"

09/12/19 09:44:13 | Atualizado em: 09/12/19 13:52:26

Quando termina uma eleição e começa um mandato, saindo de campanhas extenuantes, a tendência é a calmaria de ânimos. Esse período costuma durar até chegar as discussões de outras maratonas eleitorais. Portanto, as costumeiras rilias envolvendo pretensos candidatos à prefeitura de Palmas, já começaram. Pra valer! Nomes alinhados com as referidas siglas partidárias, estão sendo definidos (na verdade noventa por cento dos candidatos já foram escolhidos, faltando, apenas, a homologação). No início da semana passada já aconteceu "um bate-boca" , uma conversa mais ríspida entre Kátia Abreu e o líder do governo na Assembleia, deputado Gleydson Nato, que tomou as dores do governador Carlesse, depois de críticas da senadora sobre a administração pública estadual. O entrevero é apenas o primeiro de uma série de provocações que irão brunir o cenário político eleitoral palmense e tocantinense. E o ex-prefeito Carlos Amastha, ainda nem estrou em cena com sua metralhadora giratória. Quando entrar será um "Deus nos acusa", pois poucos são aqueles que ousam enfrentá-lo no gogó, e não há como negar sua habilidade verbal. Sobre a candidata Cinthia Ribeiro, depois de sair do enclausuramento atual, como costumo dizer, poderá entrar no páreo, com chances de disputar a reeleição. Sobre outro forte pretendente à sucessão da prefeita, o ex-petista Raul Filho, no início de novembro, quando falei com ele, estava na estrada, começando uma viagem. Depois não tive mais notícia. Raul voltou ou não?Já o vice-governador Wanderlei Barbosa, está nadando em águas calmas, tranquilo. Candidato do governador Mauro Carlesse,  do presidente da Assembleia Antônio Andrade, e com uma estrutura política familiar invejável , com consecutivas bem sucedidas disputas eleitorais, Barbosa, tem tudo para chegar ao comando da prefeitura de Palmas. Basta ter discernimento. Daí é só mandar fazer o terno! Quem viver, verá. (Hércules Dias)