Política

Em meio a crise no governo, bolsonaristas convocam apoiadores para manifestação no próximo domingo, 26

21/05/19 15:39:22 | Atualizado em: 21/05/19 15:39:22

Após os atos que aconteceram em todo o país contra os cortes na educação anunciados por Jair Bolsonaro, seus apoiadores realizam atos pró-governo no próximo dia 26. A convocação para o ato é nacional e ocorre neste domingo.

Como de costume, os bolsonaristas utilizam as redes sociais para alavancar os atos e usam  a hashtag #dia26nasruas para convocar simpatizantes de Bolsonaro. No Tocantins, os atos foram confirmados em Palmas (16h), Colinas do Tocantins (14h), Paraíso do Tocantins (15h), Gurupi (16h), Guaraí (16h), Augustinópolis (16h), Araguaína (16:40).

Segundo Eliz Carvalho, porta-voz do grupo em Palmas, o governo apresenta valores que estão em sincronia com o desejo de seus eleitores. “Existe um intrincado sistema de sabotagens do governo Bolsonaro e se nada for feito pode resultar em um Impeachment orquestrado pelo ‘Centrão’ e pelas esquerdas ou mesmo numa crise capaz de desorganizar as instituições e deteriorar rapidamente a economia do país”.

De acordo com Cecília Santana, coordenadora da página ‘Amor pelo Brasil’, os atos são apartidários e cerca de 500 pessoas são esperadas na manifestação em Palmas.

Em Colinas do Tocantins, o ato acontecerá às 14h na Praça Sete de Setembro e contará com a participação do movimento dos caminhoneiros, com grande concentração próxima a BR 153, em frente ao posto de gasolina Minas Petro. Em Araguaína, os apoiadores foram convocados pelo aplicativo mensagens WhatsApp, o ato será na Via Lago, às 16h40.

A organizadora do ato em Araguaína informa que o movimento vai defender pautas como a Reforma da Previdência e o pacote anticrime do ministro, ex-juiz, Sério Moro. "Apoiamos a nova Previdência, a reforma tributária, o pacote anticrime de Sérgio Moro, a CPI Lava Toga, a reforma administrativa realizada pelo governo que deduziu o número de ministérios, em especial cobramos dos generais mais sintonia com o nosso presidente, menos ruídos na comunicação e que realizem a ‘despetização’ da máquina pública, conforme a promessa de campanha”.

No último dia 15, todos os estados e o DF registram atos contra cortes na educação anunciados pelo Ministério da Educação (MEC). Universidades e escolas também fizeram paralisações após convocação de entidades ligadas a sindicatos, movimentos sociais e estudantis e partidos políticos.

Pesquisa realizada pelo Ipespe por encomenda da XP Investimentos mostra que, em um mês, a avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro subiu mais 5 pontos, passando de 26% para 31%. A avaliação positiva manteve-se estável, em 35%. Maio é o terceiro mês seguido com registro de alta na avaliação negativa (entrevistados que classificam o governo como "ruim" ou "péssimo"). Em fevereiro, conforme a série de levantamentos do Ipespe para a XP, 40% aprovavam a gestão do presidente, 17% desaprovavam.