Câmara

Ex-presidente do PreviPalmas será ouvido pela CPI nesta terça

Max Fleury é considerado peça chave pelos vereadores para explicar processo de investimentos em fundos podres

21/05/19 15:18:28 | Atualizado em: 21/05/19 15:18:28

O ex-presidente do Instituto de Previdência Social do Município de Palmas (Previpalmas), Max Fleury, presta depoimento a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do PreviPalmas nesta terça-feira, 21, na Câmara Municipal. A CPI investiga irregularidades nas aplicações financeiras do PreviPalmas. 

O ex-presidente é considerado uma das testemunhas mais importantes do processo e chegou a afirmar que não deporia aos parlamentares. Caso não compareça nesta terça, os vereadores poderão judicializar o pedido de condução coercitiva e obrigar Fleury. 

A sessão desta terça é reservada ao depoimento do ex-presidente. Outros testemunhos seriam ouvidos, mas os membros da CPI decidiram cancelar e reservar a tarde para Fleury. 

Em viagem ao Pará para colher o depoimento do empresário Elton Felix Gobi Lira, preso no Centro de Detenção Provisória de Icoaraci, os vereadores ouviram que toda a responsabilidade sobre os investimentos de risco no Cais Mauá, de Porto Alegre (RS) seria de Fleury. O ex-presidente poderá explicar como funcionavam os trâmites administrativos que convergeriam para as aplicações de R$20 milhões no no Fundo Tercom e a destinação de R$ 8 milhões para a Caixa Econômica Federal.

Para o presidente da Comissão, vereador Milton Neres (PP), estas novas oitivas são necessárias para que se chegue a um veredito sobre o que ocorreu com as aplicações financeiras do PreviPalmas. “Penso que a cada dia está ficando mais claro o que ocorreu e em breve poderemos mostrar para a população palmense e para os servidores como aconteceu, de que maneira e qual medidas essa CPI já tomou e poderá a vir tomar”, concluiu o pepista.