Publicidade

NOTA

Unimed Palmas reafirma que não tem envolvimento com Operação Marcapasso ou com Plansaúde

14/11/17 15:13 | Atualizado em: 14/11/17 15:13

Unimed Palmas enviou nota à imprensa para esclarecer que nada tem a ver com a Operação Marcapasso, deflagrada na última semana pela Polícia Federal e que revelou um esquema de superfaturamento na compra Órtese, Prótese e Materiais Especiais (OPME).

Segundo a empresa, a Unimed Palmas não possui relação com a Unimed Centro-Oeste e Tocantins que administra o Plansaúde.

"Trata-se de empresas completamente distintas, jurídica e administrativamente.
A recente operação da Polícia Federal, denominada Marcapasso, investiga irregularidades no Plansaúde. A Unimed Palmas não foi sequer citada na referida investigação, não tendo nenhum envolvimento nos casos que estão sendo apurados".

Operação Marcapasso
A Operação investiga o envolvimento de dez médicos no esquema de corrupção. Os cardiologistas Ibsen Suetônio Trindade e Andrés Sanchez Esteva estão presos e mais oito médicos chegaram a ser presos, mas foram liberados após pagarem fiança.

Além do Tocantins, a ação também foi realizada no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Paraná, Bahia, Ceará, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Ao todo, foram expedidos 137 mandados judiciais, sendo 12 mandados de prisão temporária expedidos, 41 mandados de condução coercitiva contra empresários e 84 mandados de busca e apreensão.

De acordo com informações da Polícia Federal, empresas faziam pagamentos indevidos aos profissionais por indicarem os seus produtos, que eram fornecidos ao Poder Público acima do preço de mercado. O esquema atingiu o Sistema Único de Saúde (SUS) e o Plano de Assistência ao Servidor (Plansaúde) do governo do Estado.