Publicidade

INVESTIGAÇÃO

Nove ex-deputados federais do Tocantins podem pegar 12 anos de prisão por peculato

Motivo é uso indevido do dinheiro público

03/11/16 14:48 | Atualizado em: 03/11/16 15:11

Nove ex-deputados federais do Tocantins estão na lista de ex-parlamentares denunciados pela procuradoria da república por crime de peculato. Eles são acusados de uso indevido de dinheiro público.

O caso ficou conhecido em 2009 como a farra das passagens aéreas e envolve 443 ex-deputados, entre eles estão os tocantinenses João Oliveira, Moisés Avelino, Ronaldo Dimas, Laurez Moreira, Homero Barreto, Darci Coelho, Freire Júnior, Osvaldo Reis e Nilmar Ruiz. A investigação foi feita pela Polícia Federal e os acusados, se condenados, podem pegar até 12 anos de prisão.

Durante a investigação foram analisados 160 mil bilhetes aéreos pagos pela Câmara a Gol e a Tam. O gasto foi de R$ 70 milhões. Os agentes constataram que os ex-deputados cediam as suas contas de passagens aéreas para que terceiros fizessem viagens de cunho pessoal. Os bilhetes eram expedidos para parentes, amigos e até cabos eleitorais.